PROUNI MUNICIPAL 2018 - CLIQUE E SAIBA MAIS!

Arquitetura

Erguida no início do século, a planta da vila é bem singela. A disposição dos imóveis corresponde ao que normalmente se encontra nas cidades brasileiras até o final do século XIX e que tem origem na legislação aplicada por Portugal.

A grande maioria das casas foi construída no alinhamento da rua, sem recuo da calçada; quintais e toda a vida privada ficavam para trás, preservados dos olhos públicos.

O traçado urbano da área central da cidade tal como se apresenta hoje foi  consolidado no projeto apresentado em 1894 pelo engenheiro alemão Guilherme Giesbrecht, compreendendo 39 quadras numeradas e com metragem definida. No ponto central, a igreja. Na área envoltória, o traçado e a locação de quinze ruas e três praças: a Dona Umbelina Bueno, em torno da Igreja Centenária, a Carlos Gomes e a Berlim. O traçado urbano mostra a importância que as praças tiveram como área pública. A localização dos imóveis e as fachadas revelam a época em que foram levantados. As técnicas de construção determinam estilos. Tudo isso pode ser visto no centro de Jaguariúna.

A Igreja Centenária de Jaguariúna é ainda a edificação mais visível de todo o núcleo original. Marco zero da cidade, sempre é bom usá-la como referência para um passeio pela cidade. Além do mais, reúne imóveis significativos em termos de história.
Entre as edificações que permaneceram na paisagem urbana, ainda que com alterações nas fachadas, destacam-se:

IGREJA CENTENÁRIA SANTA MARIA DE JAGUARIÚNA

Em terras próximas à sede da fazenda Florianópolis, hoje fazenda Serrinha, e do rio Jaguary, o Coronel Amâncio Bueno, mandou erguer, em 1889, uma capela em estilo gótico-bizantino. Dedicada a Santa Maria, padroeira da cidade, a matriz foi inaugurada em 1895.

__________________
SERVIÇO – Igreja Matriz de Jaguariúna
Pça Umbelina Bueno – Centro (marco zero da cidade)
Tel. (19) 3867-1535

BIBLIOTECA MUNICIPAL PREFEITO ADONE BONETTI
(Antiga Residência do Capitão Ulisses Masotti)

Neste casarão que pertenceu ao Capitão Ulysses Mazotti, um dos mais antigos moradores do então “Distrito de Jaguary”, funcionou o primeiro cartório da cidade e também foi realizada a primeira eleição. Com projeto do engenheiro Guilherme Giesbrect  foi restaurado, tendo servido também como restaurante e local de eventos. Restaurado e revitalizado em 2005, passou a abrigar a Biblioteca Municipal Prefeito Adone Bonetti.

________________
SERVIÇO
R. Cândido Bueno, 423
Tel. (19) 3837-3375

CASARÃO LUCILO POLTRONIERI 

De 1896, o prédio em estilo neoclássico, que fica entre as ruas Alfredo Engler e Cel. Amâncio Bueno, ainda mantém características arquitetônicas do final do século XIX. Em cima, a residência. No térreo, o comércio, como era usado na época.  Ali funcionou o primeiro “Cine Theatro” da cidade, nos tempos dos filmes mudos e musicados ao vivo.

VILA BUENO

Casarão que pertenceu ao Coronel Amâncio Bueno, fundador de Jaguariúna, foi construído na última década do século XIX. Projetado por Guilherme Giesbrecht, ao longo do tempo serviu ora como residência, ora como internato masculino, ora como pensão ou adega. Em 1993 começou a ser restaurado, sendo transformado em uma pousada requintada.  (Veja mais em ONDE FICAR). No quintal, uma árvore de Pau d’Alho, centenária, é testemunha de um passado em que o grão verde cultivado em imensos cafezais gerou riqueza e poder na região e no Brasil.

________________
SERVIÇO
R. Alfredo Engler, 184 – Centro.

 

CASARÃO DOS SAYAD

Construído no início da década de 20 pelo casal libanês Gabriel e Sophia Sayad, o casarão é testemunha de um rico passado da cidade, guardando detalhes que merecem ser vistos. Como era comum na época, a parte de baixo da construção era destinada ao comércio e a de cima para habitação. Preservado pelos atuais proprietários, as fachadas e a estrutura foram mantidas, assim como o estilo neoclássico, em voga no final do século XIX.

_________________

SERVIÇO
Fica entre ruas Alfredo Engler e Cel. Amâncio Bueno

PRÉDIO DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 1875

O prédio que hoje abriga a Secretaria Municipal de Defesa Social pertenceu à Cia. Mogiana de Estradas de Ferro. A restauração e revitalização foram coordenadas por Pedro Abrucez, ex-ferroviário que também exerceu funções políticas no município. O patrimônio histórico municipal é constituído de duas casas: uma em alvenaria de pedra, com quase um século e meio; e a outra, também para lá de centenária, edificada com tijolo à vista.
________________
SERVIÇO
Av. Marginal, 131
Tel. (19) 3867-4237