Encontro e noite de autógrafos discutem temas relacionados à adoção no próximo dia 23 em Jaguariúna

A cidade de Jaguariúna sediará um evento e noite de autógrafos voltados a profissionais de psicologia e famílias interessadas na adoção de crianças. O encontro acontecerá no dia 23 de novembro, sexta-feira, a partir das 19 horas, na unidade I da Unifaj.

A ação é um desdobramento do Grupo de Apoio à Adoção de Jaguariúna (GAPA) que acontece em parceria entre a Vara da Infância e Juventude e a Universidade, contando com apoio da prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social.

São esperadas cerca de 200 pessoas que terão a chance de compartilhar experiências relacionadas à adoção, além da palestra com a renomada psicóloga e terapeuta de família, Jadete Calixto, que irá compartilhar seu olhar e técnicas para o acompanhamento de casais que estão no processo de adoção. A profissional ainda irá lançar o seu livro “Reflexões sobre o tempo de espera: Preparando a família para a adoção” com sessão de autógrafo.

O evento tem entrada gratuita e marca o penúltimo encontro do ano do GAPA Jaguariúna, sendo um momento para novos aprendizados e vivências.
O GAPA

Mensalmente, o Grupo de Apoio à Adoção de Jaguariúna reúne famílias interessadas em adotar crianças e também aquelas que já finalizaram o processo de adoção para trocas de experiências. Os encontros reúnem profissionais do Fórum e psicólogos que dão o suporte necessário a cada caso. Graças à parceria com a Unifaj, os alunos do curso psicologia também têm a oportunidade de fazer estágio, aprendendo com a prática e aplicando a teoria aprendida em sala de aula.

“Nós da prefeitura fazemos questão de apoiar uma ação tão expressiva como essa realizada pelo GAPA. As famílias moradoras de Jaguariúna têm a chance de receber orientações e acompanhamento profissional. A adoção é um gesto muito bonito, mas envolve questões complexas que precisam de todo esse suporte e nós nos dispomos à auxiliar no que for preciso”, ressalta a secretária municipal de Assistência Social, Andrea Lizun.

O grupo foi criado em agosto de 2016 e desde então, a atuação junto aos familiares foi profissionalizada e se tornou mais presente de forma totalmente gratuita. Helem Sandra Albino é psicóloga judiciária da comarca de Jaguariúna e foi quem implantou o grupo na cidade. Ela detalha os resultados bastante positivos da ação.

“Vimos a necessidade de dar esse apoio às famílias e a prova do quanto essa reflexão é importante é que nesses dois anos tivemos um aumento de adoções, com mais conscientização dos interessados no processo. No panorama geral do país, existe uma preferência por adotar bebês de pele branca. Com o trabalho dos grupos de apoio conseguimos ampliar o perfil de interesse, abrangendo mais crianças. Hoje conseguimos encontrar famílias que se interessam por adotar irmãos, crianças maiores, deficientes, independentemente da cor de pele. Isso é uma grande conquista”, enfatiza a profissional responsável pelo GAPA.

Para se ter uma ideia, nos 16 meses anteriores à criação do grupo, apenas dois pretendentes flexibilizaram o perfil da criança a ser adotada.  Nos 16 meses após a criação do Gapa, esse número saltou para 12. No primeiro período assinalado, 11 crianças foram adotadas na comarca, enquanto no segundo período, 17 adoções foram viabilizadas, tanto na própria comarca quanto através de Busca Ativa (contato entre grupos de apoio de todo o país para encontrar adotantes prévia e regularmente habilitados para a adoção de crianças e adolescentes denominados de difícil colocação”, como grupos de irmãos que não devam ser separados, crianças acima de 5 anos, com deficiências físicas e/ou mentais.

 

 

Reportagem: Gláucia Franchini

Foto: Divulgação